Exércitos do Brasil e do Paraguai fazem operação inédita na Itaipu


Os Exércitos do Brasil e do Paraguai farão um exercício conjunto inédito na usina hidrelétrica de Itaipu, no próximo dia 3 de outubro, envolvendo mais de 250 militares, 30 blindados, seis embarcações e três helicópteros. Haverá ações simultâneas em diferentes pontos da usina, a partir das 10h.


O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, deverá acompanhar as atividades, de acordo com informações confirmadas pelo 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado (34 BI Mec) com o comando das Forças Armadas do Paraguai.


A movimentação faz parte da Operação Paraná II, que ocorrerá de 29 de setembro a 3 de outubro em Foz do Iguaçu, Itaipulândia, Medianeira e Missal. Trata-se de um exercício combinado com o objetivo de ampliar a interoperabilidade (capacidade de comunicação), o intercâmbio e a amizade entre os Exércitos do Brasil e do Paraguai.

Simulação


Na Itaipu, a ação conjunta terá como ponto de partida uma ocupação hipotética da usina por forças hostis. As tropas especiais dos Exércitos brasileiro e paraguaio farão, então, uma operação coordenada para retomar o controle da usina e expulsar os invasores.


"Esperamos que uma situação como essa nunca venha a ocorrer na realidade. Mas, brasileiros e paraguaios sempre poderão provar que a união dos dois países e povos está acima de qualquer ameaça, real ou virtual”, afirmou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. “E o nosso bem maior comum é exatamente a usina de Itaipu, uma conquista de nossa gente, um legado grandioso que temos que preservar e saber utilizar", completou.

Informações: GDia