Número de idosos trabalhando com carteira assinada quase dobra em sete anos, no Paraná


 O número de idosos ativos no mercado de trabalho no Paraná quase dobrou em sete anos, de acordo com dados do Ministério da Economia, disponibilizados pela Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

 

Os dados consideram os registros de trabalhadores com mais de 65 anos em empregos formais, entre 2010 e 2017, último ano de levantamento divulgado.

 

Conforme os dados, em 2010, eram 18.323 idosos trabalhando com carteira assinada. Em 2017, o número passou para 36.532, um aumento de 99%.

 

Na faixa etária entre 50 e 64 anos, conforme os dados do Ministério da Economia, eram 353.314 trabalhadores com emprego formal em 2010 e passaram a ser 503.412 em 2017, um aumento de 42,4%.

 

Oriovaldo Albino, de 69 anos, é servidor público aposentado e decidiu não parar de trabalhar. Ele retomou as atividades mesmo após a aposentadoria, atuando em um supermercado.

 

"Eu não sei ficar parado. Se eu parar, sei que vou adoecer, então eu prefiro trabalhar. A gente é um serrote, se você deixa ele parado, ele enferruja. A gente é a mesma coisa", ressalta.

 

Vanderlei Trindade, diretor de uma rede de supermercados de Curitiba, conta que a empresa concentra oportunidades para estes profissionais. Nas unidades da rede, em cada 10 funcionários, um é idoso.

 

"A vantagem é a dedicação, a vontade, o carisma com que eles atendem nossos clientes. Tudo isso facilita pra gente", conta o diretor.

 

A consultora de carreiras Carla Virmond afirma que os números do estado revelam uma tendência do mercado ligada ao envelhecimento da população e ao perfil da economia do Brasil.

 

"O País ficou velho antes de ficar rico, diferentes de outros países mais desenvolvidos no mundo. Muita gente continua trabalhando por necessidade", afirma.

 

Informações: G1 Paraná    
Foto: Reprodução/RPC