Burocracia atrasa abertura da primeira loja franca de Foz do Iguaçu


 A abertura da primeira loja franca de Foz do Iguaçu não será no próximo domingo, 15, como chegou a ser estipulado pelos proprietários na última semana. Novamente a burocracia da Receita Federal (RF) está impedindo o procedimento, com o argumento de que são necessários 20 dias para liberação dos produtos após a chegada no porto. Enquanto isto, no Rio Grande do Sul, oito estabelecimentos já estão em atividades.


No último dia 4 de dezembro, a Sky Duty Free recebeu a autorização da RF para iniciar as atividades de sua unidade localizada na Rua Marechal Deodoro, 1.402, no centro de Foz do Iguaçu. A medida parecia o desfecho de um longo período de espera e dos investimentos necessários para atender os requisitos previstos para operar pelo regime tributário diferenciado.


As lojas francas, ou free shops, são estabelecimentos que podem se instalar em cidades gêmeas de fronteira terrestre ou separadas por rios, com características semelhantes às de Foz do Iguaçu com Ciudad del Este e Puerto Iguazú, respectivamente Paraguai e Argentina. Seu diferencial é a ausência de cobrança de tributos em produtos importados ou desnacionalizados.


"O atraso para abertura da loja não é da nossa parte", ressaltou o empresário Douglas Braz, um dos sócios que representa a loja franca em Foz do Iguaçu. "O grande atraso vai da Receita Federal, ou seja, temos a licença e agora o quê?", indagou.


Entrave

De acordo com Braz, ao realizar a compra dos produtos, o grupo ficou sabendo que a RF tem masi de 20 dias para liberar os mesmos depois que chegam no porto. "Ou seja, tem um mês para liberar", comentou em entrevista ao GDia.

Informações: GDia

Foto: divulgação