Marca histórica: Coleta Seletiva chega a 100% da área urbana de Foz


O Programa de Coleta Seletiva chegou a 100% da área urbana residencial de Foz do Iguaçu e está mudando a forma da população fazer o descarte de resíduos, melhorando a geração de renda dos catadores e catadoras e contribuindo para o aumento da vida útil do aterro sanitário. Para marcar esta conquista, o Governo Municipal realiza na próxima segunda-feira (23) uma carreata com os oito novos caminhões da Coleta Seletiva. A saída está marcada para as 9h30, da Praça da Paz, com destino ao bairro Itaipu A e a chegada prevista para as 11h30, na Avenida Morenitas, no Porto Meira.

O prefeito Chico Brasileiro, a secretária de Meio Ambiente Ângela Meira, bem como os trabalhadores da COAAFI, participarão da carreata, que percorrera ainda os bairros Porto Belo, Itaipu C, Cidade Nova, Ipê, Três Bandeiras, Três Lagoas, Portal, Morumbi, Panorama e Centro.

 

“É um marco histórico para a nossa cidade. Tínhamos como meta chegar a 100% de cobertura na área urbana no ano que vem e graças ao trabalho conjunto dos catadores com a Secretaria de Meio Ambiente, hoje podemos comemorar. Este é um momento de muita alegria, da concretização de um sonho”, comentou o prefeito Chico Brasileiro. Implantado em junho de 2018, o programa acontece por meio de um termo de colaboração firmado entre a Prefeitura Municipal e a COAAFI (Cooperativa dos Agentes Ambientais de Foz do Iguaçu), com a parceria da Itaipu Binacional e do Instituto das Águas do Paraná, do Governo do Estado. 

 

A coleta seletiva acontece de segunda a sexta-feira em todas as regiões da cidade. As equipes se deslocam em caminhões e recolhem o material de casa em casa. O programa iniciou pela região Norte e agora neste mês de dezembro chegou à região central da cidade, cobrindo 100% da área urbana residencial do município. “A nova meta agora é iniciar o programa na área rural do município com os pontos de entrega voluntária (PEVs)”, adiantou a secretária Angela Meira. 

 
Orientações

Antes de iniciar o recolhimento dos materiais, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente faz um importante trabalho de orientação porta a porta. Os moradores recebem materiais informativos sobre o programa, como um imã de geladeira e uma sacola de ráfia para armazenamento dos produtos. As pessoas também são informadas sobre o dia da semana em que a coleta passará no bairro. 

 

O que é reciclável?

Podem ser encaminhados para a coleta seletiva papel, vidro, plástico e metal. Vidros devem ser depositados em uma sacola ou recipiente a parte, separado dos demais materiais e o óleo de cozinha deve ser depositado em uma garrafa PET, de preferência. Em caso de dano ou extravio da sacola de ráfia, qualquer outra sacola plástica ou caixa de papelão podem ser utilizadas para o armazenamento dos produtos. 

 

Coleta convencional

Os resíduos não recicláveis, orgânicos (restos de alimentos) e os rejeitos (papel higiênico, papel toalha, fraldas, absorventes e outros) não devem ser descartados para a coleta seletiva. Eles continuam sendo recolhidos pela concessionária Vital, conforme cronograma de dias e horários já conhecidos. Em caso de uso de materiais de saúde (usuários de insulina e outros), devem ser devolvidos no local onde foram adquiridos. Outra informação importante é que a coleta seletiva não atende grandes geradores, como estabelecimentos comerciais (lojas, restaurantes, bares) e condomínios. Estes devem ter o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) e se responsabilizar pela destinação correta dos resíduos.  

 

Jardim Jupira

Diferente de outras regiões, o bairro Jupira recebeu 12 PEVS (Pontos de Entrega Voluntária), onde a população pode fazer o descarte dos materiais. São 6 coletores para entrega de recicláveis e outros 6 para o rejeito. Todos estão identificados com adesivos e os moradores devem descartar os materiais em sacolas plásticas. Este atendimento só foi possível devido às obras de pavimentação asfáltica executadas em mais de 10 ruas do Jupira pela Usina Municipal de Asfalto. 

 
Investimentos

Os investimentos no Programa de Coleta Seletiva somam mais de R$ 17 milhões, destinados à reforma e ampliação dos 08 Centros de Triagem, aquisição de equipamentos para cada um deles, aquisição dos 08 caminhões adaptados para a coleta, materiais informativos, educativos e de suporte para a coleta, como sacolas de ráfia para armazenamento dos recicláveis nas residências. Como parte do programa está também o serviço de coleta seletiva e destinação de resíduos sólidos recicláveis nos prédios públicos.