U2 fatura US$ 73 milhões com os 15 shows da turnê de "The Joshua Tree" pela Ásia e Austrália


 A decisão do U2 de retomar a turnê em celebração aos 30 anos de lançamento de "The Joshua Tree" (1987), o seu álbum mais emblemático, pela Austrália e Ásia no final do ano passado se mostrou acertada. Os 15 shows faturaram 73 milhões de dólares com a venda de ingressos, elevando o total da turnê, que passou pela Europa e Américas do Norte e Sul em 2017, para mais de US$ 390 milhões, em um total de 65 apresentações que foram vistas por 3 milhões e 300 mil pessoas.


Os concertos do ano passado atraíram 567 mil pessoas na Austrália, Nova Zelândia, Japão, Coreia do Sul, Filipinas, Singapura e Índia - a banda nunca havia feito apresentações nos quatro últimos países, além de desde 2010 não visitar a Oceania e o Japão desde 2006.

A retomada de tour feita pelo U2 não é nada comum no mundo do rock e do pop. O quarteto tinha dado a entender que o show feito em São Paulo no dia 25 de outubro de 2017 tinha sido o derradeiro da excursão e que eles já estavam focados em seu novo disco ("Songs Of Experience") e em uma nova turnê, a "Experience + Innocence Tour".

Essa, um pouco mais "modesta", já que foi realizada em arenas ao invés de estádios, passado apenas pela América do Norte e Europa Ocidental entre maio e novembro de 2018 (a turnê foi a oitava mais bem sucedida daquele ano).

Esses resultados aumentaram consideravelmente os números pra lá de invejáveis conquistados pelos irlandeses. A estimativa é de que eles já tenham feito 825 shows desde o começo da careira, que foram vistos por mais de 28 milhões de pessoas e gerado um faturamento de 2.222 bilhões de dólares.

Informações: Vagalume